Os Mutantes

03/06/2009

Os Mutantes, banda formada em 1968 por Arnaldo Baptista, Rita Lee e Sérgio Dias, com certeza marcou a época da contracultura no Brasil.20080616123105_32_medium

E no blog Escola do Rock encontrei um post que conta a história da banda.

O primeiro LP lançado pela banda se chama “Os Mutantes” e é considerado um dos 50 discos mais inovadores da história.


Woody Allen carioca

04/05/2009

 domingos de oliveira

 

É assim que muitos cariocas se referem à Domingos de Oliveira, um grande ator, dramaturgo e cineasta brasileiro. Pra quem nunca ouviu falar vale a pena conferir. Seus filmes, sua irreverência, sua originalidade. É daqueles que a gente chama de inteligente, que “saca” de cinema, cultura, literatura, teatro e muito mais.

“Todas as mulheres do mundo”(1966),”A culpa”(1971), “Amores”(1997), “Separações”(2002), “Todo mundo tem problemas sexuais”(2008), são alguns dos filmes desse fantástico cineasta, sendo que em muitos deles também atua abordando conflitos amorosos e filosofias, características que justificam o apelido de Wood Allen carioca.

Vasculhando informações na internet sobre Domingos encontrei seu blog, que por sinal faz parte do site da revista Bravo!: www.bravonline.abril.com.br/blog/domingosdeoliveira. E em um dos posts, sendo mais específica, o post do dia 13/02/2009, o dramaturgo fala sobre sua participação e admiração pelo movimento da contracultura.

“Uma obrigação que tenho comigo mesmo é escrever a minha estória de amor com a contracultura. Aquelas idéias confusas e belas: “seja razoável, peça o impossível”, “a imaginação no poder”, “caia fora”, e mais tudo o que Harisson e Lennon disseram chegaram pra mim quando eu já era grandinho. Aos 33,34 anos. Já tinha feito 17 de análise. E vivido um bocado. De modo que pude compreender a profundidade da jogada. Virei hippie e de alguma forma continuo sendo. A contracultura foi um movimento que mostrou aos homens, através do ácido e da música, sua verdadeira beleza. Suas incríveis potencialidades. Quem me botou um ácido na boca pela primeira vez foi uma moça linda, mãe de minha filha, com quem casei no dia seguinte. Vi o movimento no clímax e depois no declínio. E não contei nunca essa história trágica em forma de Arte. Claro que é porque temo o fracasso diante de tão importante assunto. Mas por outro lado, acho o “Dreamers” de Bertolucci uma bobagem e “Hair” uma superficialidade. Ninguém descreveu, fora a música, a grandeza desse por enquanto último sonho consistente de libertação da humanidade. Portanto é quase uma missão minha fazer isso.Sou dos poucos que posso. Vamos ver se dá tempo.”

Espero que dê tempo, e se der com certeza vai estar por aqui. Pra finalizar, deixo a dica: “Swing”, Canal Brasil(66), quarta-feira às 21h30, novo programa de entrevista de Domingos de Oliveira e sua esposa, Priscilla Rosenbaum. Imperdível.

Sobre o programa: http://extra.globo.com/lazer/materias/2009/01/25/swing-novo-programa-de-domingos-oliveira-priscilla-rozenbaum-no-canal-brasil-754136540.asp